Cães braquicefálicos: tudo o que precisa de saber

Cães como os pugs, shih tzu e buldogues franceses fazem parte das raças braquicéfalas e, por isso, são facilmente reconhecidas pelo focinho curto e achatado.

São animais de pequeno porte muito fofos e companheiros, que se adaptam facilmente à rotina e ao espaço dos tutores. No entanto, estes patudos exigem certos cuidados, uma vez que têm maior predisposição a desenvolver determinados problemas de saúde.

Para que fique a entender melhor tudo o que tem de saber sobre estes cães a Alma destaca as informações mais pertinentes.
 

O que é a síndrome braquicefálica?

Raças braquicefálicas são afetadas pela síndrome respiratória braquicefálica. A maioria dos cães não sofre de todos os aspetos desta síndrome, mas deve ficar consciente sobre todos, pois o seu animal pode possuir algum deles.
 

Quais são os problemas associados à síndrome?

Para saber e perceber qual destas alterações o seu patudo pode sofrer, marque uma visita com o seu médico veterinário nas clínicas Alma.

Todavia, listamos os problemas mais comuns:

Estenose das narinas – é o estreitamento do tamanho das narinas. Esta alteração pode ficar mais evidente ao longo da fase de crescimento do animal. Em alguns casos pode ser corrigido cirurgicamente.

Hipoplasia traqueal – quando o diâmetro da traqueia é menor do que o normal causando problemas respiratórios.

Palato mole alongado – o palato mole separa a passagem nasal da cavidade oral. Como estas raças têm cabeça curta, nem todos os tecidos moles cabem corretamente na boca e garganta. Então o palato mole fica alongado e pendurado até a garganta, criando sons de ronco.

Colapso laríngeo – quando a cartilagem laríngea está constantemente sobre alterações anormais causadas pelas outras anomalias pode, eventualmente, não conseguir voltar a sua forma normal e causa um estreitamento severo nas vias aéreas causando ainda mais dificuldades respiratórias.

Hipertermia (golpes de calor) – como as vias aéreas destes animais são anómalas, a sua respiração muitas vezes é insuficiente para diminuir a temperatura corporal. São então animais mais propensos a golpes de calor/hipertermia.

Além dos problemas respiratórios (que podem comprometer a saúde e vida do seu animal) temos também outros problemas associados a estas raças.

Problemas oculares são causados, novamente, pela má formação craniana, o que faz que muitas vezes os olhos fiquem mais proeminentes. Esta anomalia faz com que o olho fique mais exposto, logo mais seco, podendo ocorrer ulcerações.

Problemas de pele associados ao facto de muitas vezes serem animais com muitas pregas de pele. Se estas não forem devidamente higienizadas podem originar infeção local.
 

Quais são os sintomas mais comuns?

Os sintomas mais comuns dos cães braquicefálicos são:
  • Dificuldade em respirar;
  • Respiração ruidosa;
  • Dificuldades em realizar trocas de calor;
  • Problemas oculares;
  • Posicionamento incorreto dos dentes;
  • Intolerância ao exercício;
  • Engasgos;
  • Tosse;
  • Espirro reverso.

Conheça os cuidados que deve ter

Para que o seu cão braquicefálico não tenha problemas graves de saúde, é importante:
  • Evitar exposições a altas temperaturas de calor;
  • Controlar o peso do seu;
  • Estar atento a situação de exercício ou stress extremo;
  • Optar por passeá-lo nas horas de menor calor, como ao início da manhã ou final do dia;
  • Limpar com frequência as pregas da pele, com um champô ou toalhitas apropriadas para o efeito e devidamente secas.

Respiração ofegante mais do que o normal, língua de fora, inquietação ou letargia são exemplos de sinais que temos de estar atentos. Se algum destes estiver presente, contacte imediatamente o seu médico veterinário.

AniCura Alma Veterinária Hospital Veterinário

Entre em contacto com um veterinário

Este artigo foi útil?

Por favor, selecione o que se adequa à sua situação. Agradecemos o seu feedback.

Obrigada!

Nós realmente apreciamos isso

Erro

Ocorreu um erro. Este pedido já não pode responder até ser recarregado.