TPLO: como tratar a ruptura do ligamento cruzado cranial em cães

A ruptura do ligamento cruzado cranial (LCCr) provoca instabilidade da articulação do joelho. Esta instabilidade, rotacional e de translação, conduz ao aparecimento de osteoartrite.

 

As diferentes técnicas cirúrgicas descritas para estabilização do joelho visam neutralizar o deslizamento tíbio-femoral que ocorre após lesão do LCCr. A magnitude do deslocamento tibial cranial é função das forças de reacção externas, das forças musculares internas e da inclinação da meseta tibial. 

A técnica cirúrgica mais usada para promover essa estabilidade, neutralizando dinamicamente a translação cranial da tíbia em situações de deficiência do LCCr é a Osteotomia de Nivelamento da Meseta Tibial (TPLO).

O principal objectivo da TPLO é a estabilização funcional da articulação do joelho durante o andamento, neutralizando o movimento de translação cranial tíbio-femoral através da correcção da inclinação da meseta tibial. Isto é conseguido pela osteotomia radial da região proximal da tíbia e a rotação subsequente do fragmento proximal para um ângulo de aproximadamente 6 graus da meseta tibial. Estas alterações das forças mecânicas que actuam ao nível da articulação femuro-tibio-patelar tornam a existência do LCCr desnecessária. O nivelamento da meseta tibial para um ângulo de 6 graus elimina eficazmente a subluxação cranial da tíbia, convertendo a translação tibial cranial num deslocamento tibial caudal, o qual é limitado pelo ligamento cruzado caudal intacto.

POS-CIRÚRGICO TPLO

POS-CIRÚRGICO TPLO

AniCura CHV Porto Hospital Veterinário

Entre em contacto com um veterinário

Este artigo foi útil?

Por favor, selecione o que se adequa à sua situação. Agradecemos o seu feedback.

Obrigada!

Nós realmente apreciamos isso

Erro

Ocorreu um erro. Este pedido já não pode responder até ser recarregado.