Resistência aos antimicrobianos também afeta a saúde animal, alertam os médicos veterinários

AniCura pretende reduzir para 5% o uso de antibióticos nos seus hospitais e clínicas até 2030. Sensibilizar para a resistência antimicrobiana através do uso racional dos antibióticos é uma das prioridades da AniCura.

Na Semana Mundial da Consciencialização Antimicrobiana, que se assinala entre 18 e 24 de novembro, a AniCura, grupo de hospitais e clínicas especializado em cuidados médico-veterinários para animais de companhia, lembra que a resistência antimicrobiana também afeta a saúde animal e reforça a sua meta de redução do uso de antibióticos para 5% até 2030. Tal significa que, dentro de sete anos, apenas 5% dos cães tratados em hospitais e clínicas AniCura receberão antibióticos sistémicos.

O combate à resistência antimicrobiana é uma prioridade para a AniCura. Apesar do seu papel fundamental no tratamento de determinadas infeções, o uso excessivo de antibióticos pode potenciar a resistência antimicrobiana e ameaçar tanto a saúde humana, como a saúde animal e o meio ambiente.

Na AniCura, ao tratarmos 4,5 milhões de pacientes por ano nos 15 países onde estamos presentes, temos uma grande responsabilidade, por isso, a redução da prescrição e o uso racional de antimicrobianos podem ter um impacto muito significativo na saúde. Continuaremos a medir o nosso impacto através dos estudos que realizamos anualmente”. refere Dr. José Gómez, Head of Medical da AniCura Ibéria.

Os antibióticos e outros antimicrobianos são considerados eficazes no tratamento de infeções e para impedir a propagação de doenças ou mesmo a morte causada por bactérias, vírus, fungos ou parasitas. Contudo, a sua utilização em excesso pode levar a que, no futuro, a resistência aos antibióticos e a medicamentos sem eficácia para tratar humanos e animais de estimação seja uma realidade”, lembra Myriam Gonçalves, médica veterinária e Head of Operations da AniCura Ibéria.

Apesar dos progressos registados deste 2016, a AniCura reconhece que são necessários mais esforços para conseguir alcançar os objetivos impostos até 2030. A sensibilização e o cumprimento das diretrizes sobre a utilização de antimicrobianos na AniCura devem ser enfatizados para garantir que, sempre que são prescritos antibióticos, o seu uso é justificado e necessário. Só através da educação contínua é possível alcançar bons resultados nesta área crítica, acrescenta a responsável.

Com o propósito de acelerar ainda mais estes esforços, a AniCura mantém diretrizes que abordam as indicações mais comuns de uso de antibióticos sistémicos. Estas diretrizes incluem, entre outras, a profilaxia antibiótica cirúrgica, infeções de feridas e abcessos, doenças gastrointestinais, infeções da pele, infeções do trato urinário, procedimentos dentários e doenças respiratórias inferiores e superiores.

Para alcançar os objetivos definidos, as guidelines e procedimentos acerca do uso racional de antibióticos sistémicos estão em constante atualização e de acordo com a mais recente evidência científica, sendo este um dos pilares fundamentais do programa QualiCura, um projeto que pretende alcançar a excelência dos serviços prestados nos hospitais e clínicas AniCura.

O Dr. José Gómez refere que As avaliações periódicas realizadas através de inquéritos aos nossos associados possibilitam a recolha de uma quantidade significativa de dados que nos permitem manter na vanguarda neste âmbito. O uso de gel cromóforo ou outras técnicas como a pressão negativa para o tratamento de feridas é um procedimento comum nas nossas unidades, contando com especialistas de referência nesta área.

Para aumentar a sensibilização e combater o surgimento e a propagação de bactérias resistentes nos cuidados veterinários, a AniCura une-se à Campanha Global “World AMR Awareness Week”. Para mais informação sobre os esforços da AniCura no que respeita à resistência antimicrobiana consulte: https://www.anicura.pt/antibioticos-veterinarios

Mais notícias

Erro

Ocorreu um erro. Este pedido já não pode responder até ser recarregado.